A morte de Marie Fredriksson aos 61 anos encerra definitivamente a carreira vitoriosa do Roxette – cantora morreu, ontem (9), após uma longa batalha contra um câncer no cérebro. Ao lado de Per Gessle, ela formou o duo que lançou dez discos em 30 anos (entre 1986 e 2016) e emplacou hits nas paradas de diversos cantos do mundo, incluindo quatro “números 1” nos EUA.

Roxette pode não ter conquistado muito respeito entre os críticos, mas isso nunca impediu a dupla de atingir o sucesso de massa. E isso porque não se pode negar a força e acessibilidade de suas canções, daquelas que conseguiam alcançar as mais diversas culturas, faixas etárias e classes sociais. Ou seja, uma tarefa nada fácil e conquistada graças à combinação dessas duas pessoas. Marie tinha a presença de palco, a voz potente, o carisma e sua rara beleza para abrilhantar o material composto por Gessle, que também sempre se mostrou um grande guitarrista e fã e estudioso da música pop.

E foi no pop que a dupla encontrou a sua razão de ser – que eles tenham uma compilação chamada “Não nos encha, vá direto para o refrão”, não é por acaso.

Apostando em uma música de apelo universal, o Roxette se tornou o maior produto musical exportado pela Suécia depois do ABBA. Com tamanho sucesso, fica fácil afirmar que todos os produtores e compositores suecos que hoje tomam conta dos bastidores da música pop global prestaram muita atenção nos ensinamentos da dupla e fizeram bom uso deles.

Abaixo relembramos cinco canções da dupla que marcaram época:

The Look“- 1988
Presente em “Look Sharp!“, o segundo álbum e primeiro sucesso internacional do duo, essa canção fortemente influenciada por Prince se tornou um enorme hit planetário, atingindo o topo das paradas americana e alemã – curiosamente na Suécia ela não foi além do sexto posto.

Listen To Your Heart” – 1988
A primeira de uma série de baladas estilo “corta pulso”, da dupla, a atingir o mainstream, essa também chegou ao primeiro lugar nos EUA e solidificou o sucesso deles, deixando claro que esse não era mais um caso de “one hit wonders”, ou artistas de um só sucesso.

It Must Have Been Love“- 1987/1990
Outra balada que até hoje é bastante executada, essa foi lançada originalmente em 1987, como um single avulso que não gerou muita repercussão a não ser na Suécia, onde ela atingiu o quarto lugar da parada local. Três anos depois a faixa foi regravada para a trilha sonora do blockbuster “Uma Linda Mulher”, o filme que fez de Julia Roberts uma superestrela e que vendeu mais de 3 milhões de cópias nos EUA. Resultado? Mais um single no primeiro lugar da Billboard.

Joyride“- 1991
Uma pequena joia pop, esse foi o quarto e último número 1 deles nos EUA. Com as guitarras assumindo o protagonismo, um refrão forte e a voz de Gessle em primeiro plano, a música mostra a influência dos Beatles e do pop dos anos 60 em geral nas suas composições (algo que ele iria explorar mais em seus pouco conhecidos mas interessantes discos solo).

Spending My Time“- 1991
Nos EUA, essa faixa não foi além do 32° lugar, uma posição que eles nunca mais conseguiram superar por lá. No resto do mundo ela se saiu melhor, aparecendo bem em diversos rankings, mas aqui, no Brasil, essa talvez seja a mais querida e perene canção da dupla, graças também à sua inclusão na trilha da novela “Perigosas Peruas”. O fato é que para muitos brasileiros de uma certa idade, essa música serviu de trilha tanto para os seus romances quanto para o final deles.